3.5.07

Men of science

Investigadores mexicanos anunciam descoberta do mais antigo fóssil de lagosta

Um fóssil de uma lagosta marinha com 120 milhões de anos foi descoberto por paleontólogos mexicanos no estado de Chiapas, a Sul do país, próximo da fronteira com a Guatemala.

O fóssil, com cerca de 12 centímetros, tem a concha e as patas muito bem preservadas. Os investigadores acreditam que poderá tratar-se dos fósseis de lagosta em melhor estado de conservação. "Praticamente 90 por cento do corpo está conservado", disse o geólogo Francisco Javier Vega do National Autonomous da Universidade do México.

Às vezes nem é a ciência que se distancia do público, é a divulgação que tem precisamente o objectivo de a aproximar. Há dias em que me lembro do Boaventura Sousa Santos. O que não é bom.

No comments: