26.9.12

24.7.09

mva ftw

Não sei o que é mais inesperado,

Legislativas
PS candidata Inês de Medeiros e
Miguel Vale de Almeida a deputados por Lisboa


A actriz Inês de
Medeiros, que foi mandatária da candidatura de Vital Moreira às europeias, vai
ser a número três da lista de Lisboa do PS às eleições legislativas, encabeçada
por Jaime Gama. Vera Jardim ocupa o segundo lugar e o sétimo é o ex-dirigente do
BE e activista da LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis) Miguel Vale de
Almeida.

... o MVA candidatar-se, ou ele ser "activista da LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis)", será uma associação nova?

5.6.09

Andar por aí



Gosto de andar por aí.
Desço as escadas a correr,
salto os degraus dois a dois
e num instante entro na rua.
Na rua não há tecto. Sopra o vento.
Às vezes chove, às vezes faz sol.
Na rua não há paredes. Há estradas, muros e lugares,
mas o mundo é enorme (acho que não tem fim).

"Andar por aí" da Isabel Minhós e da Madalena matoso - Planeta Tangerina (claro)


26.2.09

PIED

LOL




Miss Anita



"As a mother, I know that homosexuals cannot biologically reproduce children; therefore, they must recruit our children" and "If gays are granted rights, next we'll have to give rights to prostitutes and to people who sleep with St. Bernards and to nail biters."

P.S.- Já repararam que se puserem Anita Bryant no útubi aparece um video da Manuela Ferreira Leite? Intriguing:

24.2.09

Homens Homossexuais e o IPS

Bom, deixaram-me na caixa dos comentários (I'm a Saint) um link para uma petição sobre a dádiva de sangue por homens homossexuais e em vez de responder na caixa, segue em post:

Parece-me que esta não é uma questão que se resolva através de petições. O entrave que existia, em termos de regras ou se preferirem de protocolo já não existe, desapareceu em 2005 ou 2006 já não me recordo.

O que aparentemente se está a passar é que uma vez que o critério de "comportamento de risco" permanece uma abstracção, pode ser utilizado para continuar a seguir a regra que desapareceu.

Ok, isto são factos, para começar devo dizer que estou extremamente chocado com uma coisa que não me tinha apercebido. Eu já doei sangue e fizeram-me a tal pergunta e sempre pensei que também a fizessem no caso feminino "Sendo mulher tem relações com outras mulheres?", pelos vistos não - o que é mais estúpido.

Trata-se tão só de um caso de discriminação, pura e dura. Qualquer pergunta que peça o sexo do parceiro sexual é não só discriminatório, como redundante. Não faz qualquer diferença, se tem comportamentos de risco (independentemente do que se considere "de risco"), tem comportamentos de risco, tanto faz o sexo, a idade, raça, estado civil, penteado ou
nacionalidade - e estou a falar em termos não-ideológicos mas sim biológicos.

O Fim do Mundo

“Tratou-se de uma medida cautelar para evitar uma alteração da ordem
pública e o cometimento de outros crimes”, afirmou ao PÚBLICO o
segundo-comandante da PSP Henriques Almeida, que diz ter havido “iminência de
confrontos físicos” no recinto da feira.“Havia vários grupos de crianças a
visitar a feira que, depois de se aperceberem da obra, arrastaram vários colegas
para a verem. Os pais não gostaram da situação, começaram a ficar inquietados e
pediram aos organizadores que retirassem os livros”, explica o responsável da
polícia. Quanto à explicação avançada no auto de apreensão dos livros de que
estes “apresentavam cenas com conteúdo pornográfico, estando os mesmos expostos
ao público”, Henriques Almeida admite ter-se tratado de uma “confusão” dos
agentes da PSP com o título da obra em causa (“Pornocracia” de Catherine
Breillat). (in publico)


Ah bom. Afinal havia jovens a causar desacatos e a PSP resolveu confiscar os livros para impedir os jovens de sucumbirem à sua desacatêz. Sim senhor.


Já agora, segue a capa em questão.





Pornocracia de Catherine Breillat, edições Teorema.

Espero que apareçam filmagens de telemóvel no NoComment da Euronews.

23.2.09

A Origem do Mundo

PSP apreende livros por considerar pornográfica capa com quadro de Courbet

A PSP de Braga apreendeu hoje numa feira de livros de saldo alguns exemplares de um livro sobre pintura. A polícia considerou que o quadro do pintor Gustave Courbet, reproduzido nas capas dos exemplares, era pornográfico, adiantou uma fonte da empresa livreira.António Lopes disse que os três agentes policiais elaboraram um auto no qual afirmam terem apreendido os livros por terem imagens pornográficas expostas publicamente.

Ok. Quer dizer, pois. Acho que o Courbet enquanto Realista não podia ser mais homenageado. O sr. guarda TÃO pensou que era uma fotografia. É no que dá, saltam uma componente tão importante como a arte na formação da PSP, é isso e senso comum. pelamordedeus, isto não é caso de chamar fascista ao estado porque isto não tem nada a ver com censura, é mesmo tacanhêz. Até tenho vergonha.

22.2.09

Um Segredo do Bosque


Absolutamente delicioso. A verdade é que todos os títulos da OQO são fantásticos, mas este que acabou de sair é de uma beleza tão grande que até me estou a desfazer em adjectivos. A ilustração é incrível, os momentos que o esquilo atravessa com os vários animais da floresta (em particular com a raposa) são de tal modo FOFOS que é quase bizarro. Conta a história de um esquilo que não sabe o que tem, e vai encontrando vários animais do bosque que vão diagnosticando todos os sinais de estar apaixonado (a minha favorita é o "Sentes uma pedra no estômago?"). Enfim, é o livro que até hoje vi que descreve melhor o que é "estar apaixonado" (em seguida vem o estranha terra que descreve o sentimento com algo tipo "é como se tivesse dentro de mim uns dedinhos a fazer-me cócegas no seio do meu ser").

Há também outra mensagem no livro mas essa fica para quem o ler.
..


Um Segredo do Bosque
Javier Sobrino e Elena Odriozola
Edições OQO (Quidnovi)



16.2.09

Prós e Contras (ou prós e prós)


Acabei de ver o Prós e Contras sobre o casamento homossexual, e lembrou-me o debate sobre o aborto, volto a reparar em algo que aos meus olhos empobrece este programa, o lado dos "Bons" (bons porque é mais que nítida a parcialidade do programa) estava muitíssimo bem escolhida, até a Isabel Moreira, um pouco maluca teve algumas intervenções interessantes, o Miguel Vale de Almeida conseguiu, quanto a mim, nos últimos 3 minutos do programa dizer tudo, mas mesmo tudo o que havia a dizer sobre a questão. A Fernanda Câncio foi como sempre refrescante pela simplicidade do que disse (Fernanda, para a próxima por favor escolha: ou o casaco ou as meias, os dois ao mesmo tempo como os bissexuais polígamos do sr. Salter é que não ).

Mas o que queria focar é o lado dos "maus", de onde saem aquelas pessoas? E mais, como é que aquelas pessoas aceitam sujeitar-se a ir a um programa deste tipo, não digo isto por defenderem posições opostas, mas por lá levarem essas posições tão mal consolidadas, como é que se metem de defender o que defendem sem saberem do que é que os "opositores" estão a falar ou do que eles próprios estão a falar, estas pessoas possuem cargos importantes, são referências nas suas áreas e no entanto alguns nem 2 ou 3 frases articuladas foram capazes de dizer. O highlight desta vergonha foi definitivamente o que vou chamar de "Os bissexuais poligamos do Sr. Salter-Cid":




Que desperdício, passou-se um debate inteiro a falar de não-questões, de termos legais, de concursos de quem é homófobo ou não até se gerar o circo completo, em que há uma parada de extremistas a dizer as barbaridades de há 30 anos atrás, e os "bons" estão simplesmente a explicar como é que as coisas são. Mas porra, parece impossível, como é que podem continuar a alegar que ainda existe A família há estatísticas do INE se não acreditam nos estudos da sociologia? Onde é que estas pessoas vivem para acharem que a sociedade actual é constituida por células de pai + mãe + filhos? E já agora, deviam experimentar chegar ao pé de uma mãe solteira e dizer-lhe que não tem capacidade de criar o filho porque não tem homem.

E acho que há qualquer coisa de muito errada quando o representante da Igreja NÃO é a pessoa mais intransigente e conservadora num debate deste tipo (ok excepto na parte do incesto).



Relativamente aos filhos, acho que o lado dos "bons" fez um óbvio esforço de fugir à questão da adopção e aproveito para dizer que não aceito nem pouco nem mais ou menos o argumento "Ah, entre a criança estar abandonada e ser maltratada ou fechada numa instituição, mais vale ficar com um casal homossexual", o argumento deve ser o de que um casal homossexual tem tanta capacidade quanto um casal heterossexual de zelar, proteger, educar e defender uma criança, enfim de a amar, que é a única coisa que realmente interessa. Quanto ao resto, as crianças não são feitas de cristal, há crianças criadas das mais diversas e bizarras formas e não foi por isso que deixaram de crescer felizes e se tornaram adultos perfeitamente saudáveis e igualmente felizes.

Enfim. Até tremo a pensar no debate sobre a adopção homossexual.